O avanço tecnológico tem trazido inovações importantes em diversos segmentos. E, na área da saúde, a telemedicina vem sendo cada vez mais aderida. Trata-se de uma prática médica realizada a distância, por meio da internet e com uso de dispositivos eletrônicos.

Ela traz muitos benefícios, seja contribuindo para melhorar a rotina de hospitais e clínicas, para dar suporte à medicina tradicional ou ainda para tornar as decisões médicas mais ágeis e precisas.

Neste artigo, vamos explicar com mais detalhes o que é a telemedicina e como ela funciona. Confira!

O que é telemedicina?

A telemedicina é uma prática médica realizada a distância por meio do uso de tecnologias da comunicação. Seu objetivo é aprimorar o atendimento médico bem como trazer melhores resultados para diagnósticos e tratamentos de pacientes.

Desde seu início, por volta da década de 50, a telemedicina evoluiu muito. Já bastante utilizada em alguns lugares do mundo, como Estados Unidos, Canadá e Europa, a prática tem conquistado cada vez mais espaço no Brasil desde os anos 90. Em 2020, devido a pandemia da COVID-19, essa prática sofreu um aumento considerável.

Com a telemedicina, os profissionais de saúde podem, de forma online:

  • Trocar informações e opiniões médicas;
  • Discutir casos clínicos;
  • Monitorar pacientes;
  • Transferir laudos e diagnósticos;
  • Analisar exames digitalmente de qualquer lugar do país.

Por meio do uso de computadores ou mesmo de dispositivos móveis conectados à internet, a telemedicina permite processar e armazenar um grande volume de dados, cruzando informações entre laudos de exames e históricos de pacientes.

Isso pode ser muito benéfico para que os profissionais da saúde agreguem mais qualidade no atendimento ao paciente. Outra vantagem é que a prática possibilita o acesso à medicina em instituições de saúde que não têm, por exemplo, determinada especialidade médica.

Vale ressaltar que a telemedicina é regulamentada no Brasil por meio da Resolução nº 1.643/2002, emitida pelo Conselho Federal de Medicina. Conforme o artigo 2º, os serviços prestados na telemedicina devem contar com infraestrutura tecnológica apropriada e obedecer às normas do CFM em relação a guarda, manuseio, transmissão de dados, confidencialidade, privacidade e sigilo profissional.

Além disso, é preciso lembrar que a telemedicina deve estar alinhada à Lei Geral de Proteção de Dados. Dados pessoais de pacientes, informações sobre diagnóstico e prontuários eletrônicos, por exemplo, devem contar com medidas de segurança eficazes para evitar acessos indevidos ou situações incidentais.

Como funciona a telemedicina?

A telemedicina pode ser dividida em algumas áreas. Veja as principais!

Teleassistência

Na teleassistência, o foco está no monitoramento do paciente. Ele pode estar em sua própria casa ou em um estabelecimento de saúde, sendo monitorado por um profissional da área. Este se comunica remotamente com outros profissionais, a fim de realizar uma investigação médica mais precisa e acurada.

Teleconsulta

A teleconsulta pode ser tanto entre paciente e médico quanto de profissional para profissional. Entre médico e paciente, é utilizado um sistema de chamada por vídeo onde o doutor ouve a queixa e realiza o diagnóstico, podendo solicitar exames ou não.

Entre profissionais, também é usado uma ferramenta de chamada por vídeo, onde se comunicam a fim de se ajudarem mutuamente. Um clínico geral, por exemplo, pode buscar a opinião médica de um especialista, profissionais podem discutir sobre diagnósticos e tratamentos, ou, ainda, um profissional pode receber orientações a distância e em tempo real sobre algum procedimento médico.

Teleducação

Na teleducação, o objetivo é oferecer capacitação aos profissionais de saúde, principalmente àqueles que não têm fácil acesso à atualização médica em sua região. Para isso, são utilizadas diversas ferramentas, como videoconferências, palestras e aulas online, e-learning etc.

Emissão de laudos

Na emissão de laudos a distância, a telemedicina permite que exames sejam laudados de qualquer lugar e a qualquer hora, bastando que os profissionais estejam conectados à internet.

Assim, um exame é feito pela equipe de saúde, como profissionais técnicos e enfermeiros, e então é enviado pela internet para uma equipe médica habilitada. Dessa forma, o laudo pode ser realizado a distância por um médico especialista, sem que ele precise estar presente em tempo integral na clínica ou no hospital.

Com isso, é possível laudar os exames rapidamente e entregá-los ao paciente, contribuindo para um processo mais ágil do seu tratamento.

Portanto, seja para fins de educação, assistência ou pesquisa, a telemedicina permite capacitar profissionais de saúde que estão longe dos grandes centros. Além disso, possibilita a ampliação do acesso ao atendimento médico e proporciona diagnósticos e tratamentos mais eficazes. Agora que você já sabe mais sobre a telemedicina, veja como fazer uma boa gestão de documentos hospitalares com a tecnologia!

Leave a Comment

logo incontract

Software de gestão de contratos e documentos, desenvolvido para facilitar o dia a dia nas empresas.

Conteúdos Gratuitos

Siga-nos

Email: contato@incontract.com.br
Nossos telefones:

SC +55 (47) 3036-7700
SP +55 (11) 4118-2300