tendências do setor jurídico

Na atual era de transformação digital e constantes mudanças, ninguém pode deixar de se atualizar – nem mesmo profissionais do setor jurídico. Em uma área que é considerada conservadora e burocrática, vemos que as tendências do setor jurídico se mostram cada vez mais inovadoras.

Além das mudanças tecnológicas no setor, é preciso ficar atento também nas atualizações das leis e nas novas regras que vêm por aí. 

Por isso, separamos as principais tendências tecnológicas e legislativas do setor jurídico que você precisa ficar de olho. Confira o que estará em alta e atualize o departamento jurídico da sua empresa!

Tendências tecnológicas do setor jurídico

1. Blockchain

A blockchain, muito associada às criptomoedas, já existe desde 2008. No início a tecnologia era usada principalmente no campo da economia. Mas, agora ela também é uma tendência do setor jurídico.

Gerando maior aproximação entre direito e TI, essa tecnologia proporciona processos e sistemas mais seguros e eficientes. As possibilidades de uso da blockchain no campo jurídico ainda são incertas e amplas, mas já existem algumas aplicações, como:

  • Autenticação de contratos em cartórios;
  • Preenchimento automático e assinaturas digitais nos chamados smart contracts (contratos inteligentes);
  • Registro e transferência de bens móveis e imóveis com uso de contratos inteligentes e pagamentos virtuais.

2. Lawtechs e legaltechs

Sabemos que as startups já são tendência no empreendedorismo. Mas, agora, estão entrando também no mercado jurídico. As lawtechs ou legaltechs são startups focadas em soluções específicas para o setor jurídico.

Alguns exemplos dessas soluções são:

  • Softwares de gestão de contratos;
  • Uso de analytics e jurimetria para a busca automatizada de jurisprudências;
  • Ferramentas online para negociação com clientes e maior interatividade entre os envolvidos em um acordo.

3. Automação

O trabalho manual e burocrático no campo jurídico é uma prática do passado. O grande volume de trabalho, contratos e atividades repetitivas, exigem alternativas mais eficientes e ágeis.

Foi aí que a automação entrou na rotina dos advogados há alguns anos e continua sendo uma das principais tendências do setor jurídico. Softwares jurídicos para gestão de contratos e atendimento de robôs-advogados via chat, são alguns exemplos de inovação que vêm ganhando espaço na área jurídica.

Ao automatizar tarefas rotineiras, o profissional ganha mais tempo e se torna mais estratégico. Assim, oferece melhores resultados para a empresa e mais qualidade para os clientes.

4. Migração para o ambiente online

Com a pandemia de Covid-19, muitas empresas tiveram que adaptar seus processos e os profissionais tiveram que mudar suas rotinas. 

Devido às medidas de distanciamento social, uma prática que acabou se consolidando em 2020 foi a migração de parte das operações para o ambiente online.

Isso não quer dizer que as práticas presenciais vão deixar de existir. Mas a tendência para os próximos anos é uma ampliação do uso de processos e ferramentas online pelo setor jurídico, para realização de algumas atividades, tais como:

  • Consultas, reuniões com clientes e julgamentos por videoconferência;
  • Trabalho – tanto dos advogados quanto das equipes – no modelo home office;
  • Tecnologias como cloud computing e armazenamento em nuvem;
  • Atendimento ao cliente por meio de canais online de comunicação.

Vale lembrar que o setor jurídico deve estar atento também às práticas de seus parceiros. Se os fornecedores, por exemplo, estão atuando cada vez mais no ambiente online, é preciso garantir as devidas condições para essas parcerias, adotando atitudes como ao digitalização de contratos e assinatura digital.

5. Cibersegurança

Com as operações se movendo mais e mais para o ambiente digital, cresce a importância da cibersegurança.

Afinal, não se pode negar que, junto com inúmeros benefícios, a tecnologia traz a possibilidade de riscos, como invasões aos sistemas da empresa, roubo de dados, fraudes e vazamento de informações confidenciais.

Por isso, uma das tendências do setor jurídico para os próximos anos, é investir em segurança da informação, a fim de proteger os dados dos negócios e também de clientes, parceiros e demais usuários, garantindo um tráfego seguro de informações e maior confiabilidade.

6. Legal design

Outro termo em alta no setor jurídico é o legal design – uma ideia baseada nos conceitos de design thinking e user experience. O objetivo é oferecer a melhor solução e a melhor experiência para o cliente.

Parece óbvio, mas nem sempre as empresas colocaram seu público em primeiro lugar. Hoje, a tendência não é mais oferecer apenas um produto ou um serviço de qualidade, mas uma experiência incrível agregada.

Para isso, é preciso facilitar a vida dos clientes, resolver seus problemas e simplificar processos. Um exemplo é a assinatura digital, que facilita a vida de todos. 

Outra forma de aplicar o legal design são os softwares jurídicos. Eles melhoram a comunicação com os clientes e agilizam etapas do ciclo de vida dos contratos, como redação, revisão e aprovação.

Tendências legislativas do setor jurídico

7. LGPD e GDPR

A LGPD, nova lei que regula o tratamento de dados pessoais, foi sancionada em 2018 e entrou em vigor em 18 de setembro de 2020. 

Contudo, com a Lei nº 14.010/2020, que institui normas transitórias e emergenciais em virtude da pandemia do coronavírus, os art. 52, 53 e 54 da LGPD – isto é, o conteúdo referente às sanções aplicáveis às infrações – somente entrarão em vigor a partir de 1º de agosto de 2021.

Assim, a jornada de adaptação à Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais ainda continua no ano de 2021. As empresas têm, portanto, alguns meses para se adaptarem às novas regras, colocarem suas práticas em conformidade com a lei e, assim, evitarem as penalidades por descumprimento.

Inspirada na GDPR (General Data Protection Regulation), a lei europeia sobre o tema, a LGPD traz mais rigor e controle em relação à coleta, ao uso e ao tratamento de dados pessoais. Sobretudo nas práticas online, a lei causa profundos impactos na gestão de informações das empresas.

Para garantir privacidade e segurança, os usuários passam a ter mais direitos. Devem, por exemplo, receber informações sobre o uso de seus dados e podem pedir a exclusão de suas informações nos bancos de dados das empresas à qualquer momento.

Em contrapartida, as empresas devem obedecer a mais requisitos, como transparência e finalidade legítima quanto ao armazenamento e tratamento de dados, além de obtenção de consentimento do titular para uso de seus dados pessoais. 

Portanto, quanto antes as empresas se adaptarem, melhor.

8. Compliance

O setor jurídico já vem atentando para a importância dos programas de compliance há alguns anos. E essa tendência continuará valendo em 2021 e nos anos seguintes. Principalmente com a normatização da LGPD, o setor jurídico será crucial para garantir o alinhamento da empresa com as novas regras.

Será preciso adequar os contratos à LGPD, assegurando que os termos, as cláusulas e o armazenamento dos dados estejam em conformidade legal. Além do setor jurídico, os mais variados departamentos serão afetados, como o de TI, de compras, RH, marketing e vendas, entre outros.

Por isso, é preciso, desde já, adaptar os contratos e documentos jurídicos e criar programas de compliance que garantam medidas preventivas e corretivas de segurança e privacidade dos dados pessoais.

E você? Já está preparado para as tendências do setor jurídico para os próximos anos? Manter-se sempre atualizado é fundamental não apenas para estar em dia com a lei, mas para estar à frente no mercado.

Portanto, não deixe de acompanhar os conteúdos em nosso blog para ficar sempre por dentro das novidades e tendências!

 

logo incontract

Software de gestão de contratos e documentos, desenvolvido para facilitar o dia a dia nas empresas.

Conteúdos Gratuitos

Siga-nos

Email: contato@incontract.com.br
Nossos telefones:

SC +55 (47) 3036-7700
SP +55 (11) 4118-2300